05
nov/17

Técnicas para lidar com a raiva dos filhos

Na semana anterior, havíamos escrito que a raiva e a agressividade manifestada pelas crianças, nada mais são do que a forma que elas encontram de esconderem seus sentimentos de impotência em não conseguirem lidar com situações específicas. Vimos também que entre as atitudes mais eficazes para os pais lidarem com isso, é não se focarem no fato de descobrirem culpados em uma discussão de amiguinhos ou irmãos, mas sim, de entender os pontos de vista de cada pessoa envolvida. Vimos sobre a importância do ato de tocá-los de forma amorosa na hora crítica, sendo este, um dos fortes tranqüilizantes nas horas tensas.

Hoje falaremos sobre técnicas específicas que os pais podem acionar com os filhos, para desviar o clima de tensão no ar e saber transformá-los em momentos de distração.

Cabe antes ressaltar, que quando o adulto perde o controle com freqüência, isso pode estar passando a mensagem de que uma briga só termina quando outra briga começa. Se isso ocorre, significa que o adulto não está em condições de fazer mediações e o mais indicado a fazer é abrir o jogo dos próprios sentimentos, mesmo não justificando agir assim. Isso é fácil na teoria, mas difícil na prática. Porém, é o mais correto a fazer, pois brigas são coisas comuns da vida, DESDE QUE, não sejam feitas agressões físicas ou psicológicas.Vamos as estratégias:

– BRINCANDO DE BRIGAR. Você tem percebido que seu filho tem acessos constantes de raiva? Transforme a briga em algo lúdico e estabeleça a brincadeira de brincar de brigar. Isso se faz quando você desvia o motivo da raiva, inventando outra razão para discussão e pede que ambos possam inventar um motivo diferente e finjam que estão brigando por aquilo. (Ex: O filho só fica provocando o irmãozinho mais novo, porque só ele que pode usar as canetinhas para pintar. Você pede que eles inventem outro motivo de briga e fala que ambos tem quatro minutos para fingirem que estão brigando. Podem começar!

– TROCA DE PAPÉIS. Esta técnica auxilia-os a treinar a habilidade de empatia diante de uma situação ameaçadora. O adulto pede para que cada criança entre no lugar da outra e cada uma irá defender seu ponto de vista, sem o outro ironizar, desrespeitar ou diminuir os sentimentos pessoais.

– POÇÕES MÁGICAS: Toda criança gosta de se sentir com super-poderes e elas apresentam ótimos resultados quando isso acontece. A mãe deverá fazer um “teatro” para explicar que vai fazer uma poção mágica (suco de frutas, com raspas de limão, cereja e outros) e irá deixar em um lugar da geladeira para ela tomar todas as vezes que estiver precisando controlar suas emoções. Fazendo isso, você fará igual o espinafre do Popeye, ou seja, irá ativar sua força o que irá auxiliá-la. É importante salientar, no entanto, que a poção deve ser algo saudável, não chocolate, guloseimas ou bolachas.

– TÉCNICA DE REAÇÕES INVERSA DOS PAIS: Quando as crianças não fazem o que os pais pedem, os pais podem combinar de no dia seguinte não fazer o café, não deixar a mesa arrumada e se esconder do filho. Após o nível de tensão da criança ter aumentado, os pais aparecem e perguntam como a criança se sentiu quando viu que os pais não fizeram suas tarefas e seus combinados?

– TÉCNICA DO ESPELHO: Você começa a imitar o que a criança está fazendo. Se caso ela reclama em voz alta, coloca as mãos entre a cintura e faz cara feia reclamando, o adulto repete o mesmo comportamento, sem ser irônico(a). Isso é ótimo, pois eles percebem como se comportam diante dos fatos e que a birra não é uma forma inteligente de resolver um problema.

VOLTAR

Karine Rizzardi
CRP 08/09524
A autora é psicóloga especialista de Casais e Família

De acordo com a lei 9610 de 19/02/1998, este conteúdo está protegido. É autorizada a sua reprodução, desde que seja feita de maneira integral e citando a autoria/link original.
Rua Vicente Machado, 1587 (Anexo ao Centro Dermatológico de Cascavel)