28
jul/18

Ele(a) tem filhos, e agora?

Novo amor, novos planos e gostosas expectativas… Com tudo se transformando na sua vida, por uma coisa você não esperava: ter que lidar com os filhos dele(a).

Cuidar dos filhos do seu parceiro nos finais de semana já é uma tarefa desafiadora, mas conviver com eles a semana inteira é no mínimo – inusitado.

Aquele ditado que diz que o combinado não sai caro, é um pedido necessário para o casal que se em uma situação de recasamento. Antes de assumir qualquer relacionamento sério, é imprescindível que o casal sente para conversar sobre como irão manejar as diferenças. Esses acordos devem vir do coração, sem falsidade e devem ser claros, para haver aceitação mútua.

Quando há a entrada de uma outra companheira na vida do pai ou da mãe, é natural que a pessoa se sinta excluída, insegura ou julgada. Quando saem algum lugar, sentir-se fora de contexto é normal, mas só você pode contornar esses desconfortos.

Aqui vão algumas dicas sobre como devemos agir para lidar melhor com essas situações:

1 – Não tente ser uma segunda mãe. Você não tem este direito e cada um na família já tem o seu papel. Toda mulher tem um instinto de cuidar, mas assumir o papel de mãe precipitadamente só vai piorar a situação. O melhor a fazer, é tentar ser amiga.

2 – Não demonstre favoritismos. Se você também tem seus filhos, não seja mais dura com os filhos dele ou vice-versa. O mesmo acontece se você prefere o filho caçula dele, pois acha que ambos se dão melhor.

3 – Deixe as broncas e a parte da disciplina para o pai. Será difícil você ser aceita se tomar a posição daquela que dita as regras. Cada regra é diferente para cada família, mas a frase: “Vai escovar os dentes, menino!” não é muito indicada para quem quer se dar bem com as crianças. Fazendo isso, você corre o risco de ser a “mulher mala” do papai.

4 – Felizmente ou não, os filhos não são obrigados a gostar, mas devem respeitar a escolha do pai. Certamente que eles ficam chateados devido a separação, mas de uma forma ou de outra, todos devem colher as conseqüências de seus próprios atos.

5 – Seja compreensiva quando seu atual companheiro tiver que se encontrar com a ex mulher para resolver alguns assuntos. Afinal, eles já tiveram uma história juntos e você não tem o direito de intervir nessas situações.

6 – Quando cada um já tem seus próprios filhos, a forma de educa-los deve ser de forma que favoreça ambos os parceiros. Isso envolve uma decisão madura e depende de ambos cederem para ganhar.

Entendam que este período precisa de no mínimo dois anos para que todos se adaptem com a nova situação. Para isso, procure respeitar o espaço dos outros e de igual forma o seu, pois fazendo isso, as coisas ficarão mais harmônicas para todos os lados.

 

VOLTAR

Karine Rizzardi
CRP 08/09524
A autora é psicóloga especialista de Casais e Família

De acordo com a lei 9610 de 19/02/1998, este conteúdo está protegido. É autorizada a sua reprodução, desde que seja feita de maneira integral e citando a autoria/link original.
Rua Vicente Machado, 1587 (Anexo ao Centro Dermatológico de Cascavel)