10
mar/17

Dificuldade em dizer “não”?

A maioria das pessoas sente culpa quando precisam dizer “não”. Muitas dessas pessoas temem desapontar alguém, magoar, provocar antipatias e até conflitos, pois quando intimamente pensam “Não, eu não quero!”, por fora dão um sorriso simpático verbalizando aquele fatal “Está bem! Eu vou!”. Há, contudo, muitas formas de dizer “não” e continuar sendo agradável.

Primeiramente, vamos entender por que você precisa dizer não?

1- Porque todos os dias somos confrontados por forças externas, que consomem nosso tempo e desorganizam nossa rotina. Com a falsa promessa de acelerar nossa vida, muitos dizem “sim” para tudo, o que acaba criando mais tumulto e confusão. Dizer “não” é uma forma de reduzir a lista de tarefas e criar um espaço de calma que é necessário na vida moderna. Isso não é mais luxo, mas se tornou uma necessidade.

2- Não se trata somente de uma questão de agradar a si próprio, mais em qualquer relacionamento ou situação, a necessidade de dar limites ao próprio “eu” é imprescindível para o bem estar emocional. Limites nas redes sociais, limites de trabalho, parar um tempo para pensar, desligar-se de tudo nos fins de semana, são apenas alguns exemplos que o auxiliam a manter-se sóbrio nas idéias e nas tarefas diárias.

Ceder demais para tudo, pode representar um estupro emocional a si próprio.

Observe algumas estratégias para você parar de dizer “sim”, quando quiser dizer “não”:

* Faça pequenas tentativas: Para desenvolver coragem suficiente para dizer “não” com elegância, comece com os pequenos ensaios que não representam ameaça para pessoas que você não terá dificuldades, como dizer a sua melhor amiga que não quer ir ao restaurante com ela. Aos poucos vá ampliando seu campo de atuação, desafiando-se em situações mais complicadas.Quanto mais usá-las, mais a vontade vai se sentir com você mesmo.

* Você não precisa justificar: Sentimo-nos forçados a justificar nosso “não” com uma explicação detalhada, quase sempre inventada. As respostas do whatts app justificam esta questão. Acrescentamos detalhes que raramente são necessários e quanto mais informações específicas você der, mais chances você tem de se dar mal. Quando você afirma: “Lamento, mas não poderei ir” ou “Infelizmente tenho um compromisso”, você transmitirá firmeza e decisão, sem escorregar nas palavras.

* Ficar com você mesmo, já é um compromisso: Muitas pessoas se sentem constrangidas ao recusar um convite quando não tem outro agendado; sentem vontade de passar a noite em casa, mas se esquecem que fazer isso já é um plano. Você deve se incluir na sua agenda e entender que estar com você e com as pessoas que você ama é realmente um grande compromisso.

* Considere os muitos “nãos” que você já recebeu: Todos nós já levamos muitos “nãos”, sendo na área afetiva, na familiar ou profissional. Sua própria habilidade de passar por isso não te fez uma pessoa pior e é prova que todos podem suportar muitos tipos de “nãos” e continuar tocando a vida para frente. Portanto, não presuma que você vai causar danos sérios quando diz “não”, porque pode ainda ser beneficiado.

* Ganhe tempo: Se você não lembra de nenhuma dessas citações acima, execute pelo menos essa, pois assim você ganha tempo e vai poder resolver a maioria dos casos. Por exemplo: Deixe-me consultar meu esposo para ver se não temos compromisso, ou, preciso ver minha agenda e te ligo depois.

Você pode dizer “não” sem se comprometer, mas o principal: Sinta-se livre! Seu sentimento de liberdade interno já é um bom termômetro para saber quando se deve dizer “não” e quando se deve dizer “sim”.

VOLTAR

Karine Rizzardi
CRP 08/09524
A autora é psicóloga especialista de Casais e Família

De acordo com a lei 9610 de 19/02/1998, este conteúdo está protegido. É autorizada a sua reprodução, desde que seja feita de maneira integral e citando a autoria/link original.
Rua Vicente Machado, 1587 (Anexo ao Centro Dermatológico de Cascavel)